24 de outubro de 2013

Tecer Ilustra: Anielizabeth e suas histórias do fundo do mar - Zit Editora





Salão do Livro FNLIJ para Crianças e Jovens - Jun. 2013

Lançamento do "Histórias de Terror no Fundo do Mar". 
Anielizabeth, blusa rosa e Luciana Rosa, de blusa azul. 


O Tecergirassóis que é apaixonado por autoria de imagens, desde a sua criação entrevista estes escritores que nos permitem encantar-se com suas obras de arte, telas em forma de livro. Anielizabeth, ano passado foi possível conhecê-la no Salão do Livro. Sua trajetória literária, vamos conhecer nesta entrevista, e admirar suas intensas telas, cores, formas... e seu processo de criação.
A Zit Editora, nossa parceira na incursão da literatura infanto juvenil, recentemente    lançou o livro Histórias de terror no  fundo do mar  , cuja autoria são destas duas brilhantes escritoras, Luciana Rosa e Anielizabeth.

Vamos conhecer um pouco sobre o Ilustra, Entrevista com Anielizabeth.



Acervo da Autora: Anielizabeth ( proibido a cópia) Técnica  com Guache


1. Anielizabeth, professora, contadora, ilustradora, como foi esta trajetória na literatura?


Bom... Tudo começa na infância... Cresci em meio a livros e todo tipo de estímulo a leitura, além de viver em casa grande com quintal, no subúrbio, com muitos bichos e pais que sempre me deixaram livre. Aí, começou o lado criativo. Quando eu já estava maiorzinha, o desenho virou  meu grande companheiro. 


Vivia com um bloquinho e muitos lápis e canetas. Tinha mania de desenhar e escrever a todo tempo. Mais tarde, no Ens. Médio, fiz o curso Normal ao mesmo tempo em que estudava teatro, e quando passei para a faculdade de moda, para ser figurinista, comecei a dar aulas em uma escola municipal do Rio de Janeiro. 

Aí, tudo isso que se acumulava em mim, desabrochou. Fui parar em uma escola com a sala de leitura mais deliciosa do mundo! E com uma direção que apoiava, na prática, a formação de leitores. 

E aí, tudo aquilo que eu gostava de fazer quando criança, eu levei para minha prática como professora. E comecei a contar histórias para os meus alunos, a alfabetizar com Maria Mazzetti, Cecília Meireles, Vinicius de Moraes... Mas, foi olhando as ilustrações de Roger Mello, André Neves, Rosinha e Graça Lima que resolvi que queria fazer aquilo também. 

Queria ilustrar livros infantis. Então, iniciei um trabalho de ressignificar tudo o que aprendi na faculdade: desenho, técnicas gráficas, história da arte... Essa base foi fundamental para começar a ilustrar. Contei tudo isso para as pessoas perceberem que a vida não é uma linha reta. Ela é feita de muitos caminhos e descaminhos





2. Qual sua análise em relação a seguinte afirmativa: O livro é o contato com a obra de arte, é uma tela, um quadro para a criança

Acho o livro infantil uma maneira de salvar a memória iconográfica de uma geração. Um aliado importantíssimo na memória da humanidade. E o ato de criação, em qualquer campo da arte, não se dá de forma leviana e impensada. Conscientemente ou não, surge de um intenso processo de pesquisa. Nos aprimoramos a medida em que lemos, estudamos e buscamos incessantemente esse aperfeiçoamento. E ele fica evidente em nossa obra. Mesmo quando achamos que esta ou aquela história simplesmente “surgiu” em nossa cabeça, nós, criadores sabemos que ela é resultado de anos de vivências, saberes acumulados, estudo...



Acredito e defendo que o livro é uma obra de arte que, mais do que educar pedagogicamente falando, tem o poder de desenvolver o potencial de sensibilidade presente no ser humano. O livro infantil é um produto privilegiado, que conjuga interpretação de texto, projeto gráfico, inúmeras técnicas de ilustração, além dos mais diversos recursos das artes gráficas disponíveis.



O livro infantil é uma invenção humana privilegiada, na medida em que lida com diferentes linguagens artísticas. A ilustração pode deleitar, comover, educar, uma vez que estimula a imaginação cada vez que se permite dialogar e criar vãos e nuances no livro, não se contentando em ser uma cópia desenhada do que está escrito, cada vez que se propõe a tocar a sensibilidade e contribuir para a intuição criadora do leitor. Mas para que isso seja verdade, é preciso ter sempre em foco a importância de se investir no aprimoramento artístico da ilustração. Isso, o ilustrador não pode perder de vista.

Vejo na literatura infantil uma poderosa aliada no combate à banalização das imagens. Mas, para isso, é necessário que o leitor treinado para ler códigos verbais seja preparado também para ver e decodificar a pluralidade de linguagens que no livro infantil se encontram e se articulam.

Levando em consideração essa responsabilidade com o leitor e com a complexidade do livro, não posso deixar de destacar sempre a importância da montagem de um extenso acervo cultural por parte do ilustrador, pois o livro é um produto cultural de suma importância.

Quando falo em educação, passo muito longe da escolarização do nosso trabalho. Falo de educar como algo mais amplo, acreditando que este ato é responsabilidade de todo ser mais experiente na tribo, em relação aos menos experientes. Afinal, é preciso toda uma aldeia para educar uma só criança.
Autoria da imagem: Anielizabeth ( Proibida cópia) Livro: Noites de chuva
Autora de Texto: Ana Claudia Ramos




Curiosos para saber mais sobre o processo de ilustração de Anielizabeth, #Leia na próxima semana a continuação da entrevista.
E agora, comente:


 Qual o impacto de uma imagem para a trajetória do texto no livro?

O melhor comentário vai #Ganhar um kit da Zit Editora, de Moleskine Zit.

E na próxima publicação, quem comentou, vai contar pontos para concorrer ao livro: Histórias de Terror no fundo do mar.
 Que tal??





4 comentários:

  1. As ilustrações de hoje em dia são bem diferentes comparando
    com as de antigamente, em termos de traços prefiro as mais antigas,
    mas em relação as cores, prefiro as da atualidade.

    Eu gosto de desenhar personagens de animes ^^

    Acredito que imagens bem coloridas são mais atrativas para as crianças.

    Qual o impacto de uma imagem para a trajetória do texto no livro?

    Hum, acredito que a imagem muitas vezes ajuda em
    pontos que não ficaram muito esclarecidos na leitura do texto
    e, é claro, incentiva o leitor a desenvolver melhor
    a sua imaginação acerca do enredo. Outras vezes, se a sinopse do livro
    não convida tanto a leitura, a ilustração desempenha esse papel.

    "Quando falo em educação, passo muito longe
    da escolarização do nosso trabalho. Falo de
    educar como algo mais amplo, acreditando
    que este ato é responsabilidade de todo ser
    mais experiente na tribo, em relação aos
    menos experientes. Afinal, é preciso toda
    uma aldeia para educar uma só criança."

    Concordo plenamente. Essa não é apenas uma atribuição de uma só pessoa, mas sim
    de todos.

    Adorei a entrevista.

    Abraços!

    Babih Hilla
    http://revolucionandogeral.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Antes de tudo quero parabenizar esse maravilhoso Blog que em suas postagens, informações tem como tema brilhantes a direção voltada a educação das nossas crianças e parabenizar também a Anielizabeth por sua linda carreira que com certeza vem lá do fundo do coração.
    "
    A imagem é tudo em um livro e mais ainda quando for direcionado ao público infantil. Eu por exemplo burrinha velha ( rsrsrs), quando compro um livro ou vou a uma biblioteca costumo me interessar de inicio pela capa e com certeza para uma criança o imaginário que a levará a um mundo de sonhos através da leitura terá como ponto de partida a imagem da capa do mesmo, e antes mesmo de começar a ler ela já terá imaginado um texto para o mesmo. Então o impacto é de ligação para todo o resto.

    ResponderExcluir
  3. Parabéns Renata pelo lindo trabalho e pela entrevista com a Anie e Luciana, sensacional. Fico feliz, como Pedagogo, da Zit Editora, participar dessa trajetória.

    ResponderExcluir
  4. Renata meus parabéns! Uma entrevista linda e muito bem organizada. Anie e Luciana são pessoas ímpares. Eu mesmo, como Pedagogo, da Zit Editora, tenho uma grande admiração por vocês... Posso inserir você tbm. Mais uma vez, parabéns!!!

    ResponderExcluir