27 de dezembro de 2011

Resenha: Uma gata no coração, Roseana Murray- Editora Amarilys




Autora: Roseana Murray
Ilustrador: Caó Cruz Alves
Págs: 28

Tecer recomenda: para 3 a 6 anos




Uma gata no coração é uma linda obra de Roseana Murray, que nos traz sempre a poesia.
O gênero cativante de Murray, e ilustrado por Caó Cruz Alves, capturando a magnitude do amor, vida e ausências.
A editora Amarilys  nos proporciona a história poética de Babel, uma gata que é inspiração na casa.
Um dos trechos que descrevem a linda Babel, dizendo como é:

Era tão delicada,
parecia um poema feito
com fios de seda,
parecia uma gata-flor,
quatro patinhas brancas
e olhos de azul oceano.




Mas um dia, Babel nos deixa, será que ela se foi para sempre?
Como nos sentimos quando alguém vai embora?


Este livro é super indicado para debater sobre perdas e ganhos para crianças, e também adultos. Ninguém vai embora, sempre temos lembranças, histórias a contar...

Quer conhecer o livro, acesse o site da Editora Amarilys, tem este e muito mais:

http://www.amarilyseditora.com.br/

Você gosta de poesia?
Que sentimentos você guarda no coração?
Comente e ganhe um kit de marcadores de páginas poéticas; 
Sorteio pelo Random na sexta, dia 30.
Quem for da Liga das blogueiras, tem um kit exclusivo de marcadores poéticos e mais uma surpresa.
Participe!!!
São dois Kits Marcadores Poéticos.

4 comentários:

  1. Linda capa, fiquei apaixonada pela gatinha, é muito fofa. Um livro bastante interessante para o roteiro dos pequeninos. Muito bom, amei!!
    Bjos

    ResponderExcluir
  2. Adoro poesias e no meu coração sempre guardo bons sentimentos, como amor e compaixão, quando a leitura me toca profundamente.

    ResponderExcluir
  3. Que fofinho, Rê!
    Adoro livrinhos assim! São sempre fofinhos e meigos!

    :*
    Mi
    Inteiramente Diva

    ResponderExcluir
  4. Gostei do desenho, o rabo do gato formando um coração *_*
    "Como nos sentimos quando alguém vai embora?"

    A gatinha foi pra onde??? Creio que quando alguém vai embora, a gente sente um vazio no peito, uma dor que fica latejando, saudades do que não volta, pensa-se do que poderia ter sido feito, do que deixou de ser feito, lembra-se dos bons momentos. No fim o tempo cura tudo e sobram doces lembranças.

    Adorei a doce resenha Re.

    Beijinhos
    Babih Hilla
    http://revolucionandogeral.blogspot.com

    ResponderExcluir