7 de novembro de 2011

Segunda Ilustrada: Maurizio Manzo e seu estilo ilustrativo

Foto de arquivo do Ilustrador 

Maurizio Manzo, ilustrador, que recentemente fez a ilustração do novo livro de Joana Cavalcanti, Sete saias da lua, pela editora Minguilim, havia concedido uma entrevista ao TecerGirassóis, e agora, publicamos e vamos conhecer um pouco mais sobre o estilo deste autor de imagens.

1. Há quanto tempo você é ilustrador? E o que lhe encanta na ilustração?

Acho que está pergunta pode ter duas respostas uma que é a primeira que me vêm a cabeça seria que acredito desde que me conheço por gente, lembro que aos cinco anos desenhava muito e teve um dia que elaborei uma historinha e a ilustrei em tiras de transparência para depois projetar igual filme, esse já poderia ser um “trabalho” de ilustração. Assim sempre desenhei e pintei, me formei em design gráfico, profissão que me possibilitou sempre que possível estar ilustrando algum projeto ligado ao design. Mas o outro jeito de responder sobre o tempo poderia ser o primeiro livro que ilustrei, que deu sequência a uma serie de outros livros, mesmo já tendo ilustrado outros livros antes, mas a partir deste estava mais determinado e foi em 1999/2000, dai em diante não parei mais.

Me encanta a possibilidade de enriquecer o texto original, se a ilustração não é obvia ou seja muito descritiva ela pode ampliar aquele Universo para o leitor e mostrar que tem outras maneiras de entender aquela historia. Sem perder a essência, claro.

Capa do novo livro de Joana Cavalcanti e Ilsutração de Maurizio Manzo, Sete Saias da lua.


2. Existem percepções diferenciadas da ilustração perante a pintura. Quais são e o porquê?

Tem uma ilustradora Tcheca, que eu e muitas outras pessoas gostam muito, ela se chama Kveta Pacovska e ela diz o seguinte “Um livro ilustrado é a primeira galeria de arte que uma criança visita”.Essa respeitada ilustradora é antes de tudo uma artista plástica.
Assim, o que poderia te dizer é que talvez a diferença seja que numa galeria de arte as pinturas nunca vem juntas com o texto de onde o artista elaborou a obra. Ao contrario do livro ilustrado.

3. Como sincronizar a ilustração com o texto literário, criando simbologias e ludicidade?

Acho que uma parte da pergunta já foi respondida (pode ser criando simbologias e ludicidades), a outra estaria vinculada ao processo criativo de cada ilustrador.

Quer saber mais, na próxima semana tem... continuidade da entrevista!

Curtiu, quer perguntar algo a o ilustrador, envie-nos pelo comentário e/ou email: tecergirassois@gmail.com

4 comentários:

  1. Adorei a entrevista, Rê! :B

    :*
    Mi
    Inteiramente Diva

    ResponderExcluir
  2. Amei o que ele citou da Ilustradora Tcheca “Um livro ilustrado é a primeira galeria de arte que uma criança visita”. concordo plenamente e essa capa Sete saias da lua achei tão linda q me fez ler a resenha do livro que achei maravilhoso tbem..

    ResponderExcluir
  3. Nossa, que capa linda! Eu acho fantástico esse espaço que você dá aos ilustradores porque quando se trata de literatura e ainda mais infantil, o trabalho do ilustrador é tão importante quanto do autor. Ainda não conhecia o Maurizio Manzo e fiquei curiosa para ver o resto da entrevista. Um bjo!

    ResponderExcluir