26 de abril de 2011

TecerEntrevista II e Promo: Quem tem medo de Papangu?




Goimar numa tarde de contação
A parte II da entrevista é encantadora, pois revelará vários segredinhos de escritora.
Vamos lá!!

E a surpresa, logo abaixo, alguém quer?


4. Qual a sua análise e reflexão acerca das ilustrações nos livros infantojuvenis?
Entendo o ilustrador de livros infantis como um coautor. Um artista imprescindível para levar os leitores ao mundo verdadeiramente encantado que propomos nas histórias infantis. O livro ganha uma dimensão infinitamente mais bela, dinâmica e divertida por meio das ilustrações. A sensibilidade do ilustrador e a sintonia desse artista com a proposta do escritor é que emprestam aos livros infantojuvenis uma característica única, capaz de elevá-los à categoria de obra de arte. Tive a sorte de contar com uma ilustradora maravilhosa no Quem tem medo de papangu?, a artista plástica Cláudia Cascarelli, que não só pesquisou e se apaixonou pelo tema, como fez um trabalho que superou minhas expectativas mais positivas. Cláudia transformou o livro numa viagem visual instigante e colorida. Uma festa de cores, lirismo e sensibilidade. Fiquei felicíssima por tê-la ao meu lado nesse projeto.


 5. Qual o seu estilo e preferência literária?
Sem dúvida essa é sua pergunta mais difícil. Creio que o estilo vai sendo construído ao longo da vida, moldado pelas experiências e leituras a que temos acesso, associadas, é claro, ao exercício cotidiano da escrita: seja em jornais, revistas, redação de livros, blogs etc. Sou formada em jornalismo, com mestrado em comunicação e letras. Sempre li muita poesia, romance, ficção, biografias e, desde a faculdade, me identificava muito com os textos publicados em revistas, cadernos literários e de comportamento. Neles eu encontrava textos que flertavam de forma escancarada com a literatura, utilizando metáforas, citações, fazendo referências a filmes, livros, poemas. Era isso que eu desejava: a possibilidade de tornar o texto o mais atraente e literário possível.
Já minhas preferências literárias são uma descoberta ininterrupta. Sou uma leitora caótica e volúvel. Adoro Machado de Assis, Jorge Luís Borges, Manuel Bandeira, Drummond, João Cabral de Melo Neto, Erico Verissimo, Adélia Prado e Hilda Hilst (essas duas poetisas, inclusive, são temas de minha dissertação de mestrado). Considero Grande sertão: Veredas, de Guimarães Rosa, uma verdadeira Bíblia. Tenho paixão pelo O Amor nos tempos do cólera, de Gabriel Garcia Marquez, Lolita, de Vladimir Nabokov e Morte em Veneza, de Thomas Mann, O retrato de Dorian Gray e ainda De Profundis, de Oscar Wilde. Também adoro ler a nova geração de autores nacionais. É impossível acompanhar tudo o que é publicado, mas já consegui me render à Andrea Del Fuego, Adriana Lisboa, Adriana Lunardi, Adriana Falcão, Cláudia Lage,Vário do Andaraí, Ricardo Lísias e o pernambucano Marcelino Freire. Também adoro biografias, memórias, livros de crítica literária e ensaios relacionados ao universo feminino. 







6. Como surgiu “Quem tem medo de Papangu?”?
Sou neta e sobrinha de papangus, mas só soube disso por volta dos 10 anos, numa viagem que fiz à pequena cidade de Japi, no Rio Grande do Norte, onde ainda mora boa parte de minha família materna. Nasci em Santa Cruz, município vizinho, e morei em Japi até os dois anos. Voltei a morar lá durante 8 meses, quando tinha 6 anos. Desde então, só voltei em férias. Foi numa dessas ocasiões que vi um tipo mascarado na praça de Japi. Ele vestia um saco preto e corria atrás da molecada, que gritava: “Papangu! Papangu!”.
Fui em disparada pra casa da minha avó, relatei-lhe o fato e perguntei quem era aquela figura estranha que atazanava e, ao mesmo tempo, era atazanado pelas crianças. Quase caí dura ao ouvir a resposta emoldurada pelo delicioso sotaque nordestino de minha avó: 


“Mulé, e tu não sabe quem é? Pois aquele é teu avô Pedro Horácio!”. A semente do livro nasceu do impacto dessa descoberta. Meu avô era sisudo, caladão, não dava ousadia pros netos e tinha fama de ter sido extremamente duro na criação dos filhos. Não era possível que estivesse mascarado, na praça, em pleno Carnaval, brincando e correndo atrás de meninos e meninas que mal conhecia. Fiquei perplexa com aquela dualidade e a cena nunca saiu da minha cabeça. Anos se passaram, meu avô faleceu e, ouvindo uma história aqui, outra ali, descobri que ele amava festas, era engraçado, gostava de dançar forró... Então, no Carnaval de 2007, escrevi o primeiro esboço do livro. Mas descobri que não sabia nada sobre papangus e precisei pesquisar como esses personagens haviam surgido, como foram modificados ao longo dos anos, décadas, séculos. Eu queria saber tudo: como eram feitas as máscaras? As fantasias? Por que tinham esse nome estranho? Como meu avô foi parar nessa história? Como ele se vestia nos carnavais anteriores ao meu nascimento? Que tipo de brincadeiras fazia com a molecada, além de correr na praça? Entrevistei familiares, li artigos, reportagens, estudos acadêmicos. Então nasceu o livro: misto de uma recordação afetiva associada à vontade de escrever às crianças sobre esse personagem tão fascinante.



 7. Quais as dicas para quem deseja tornar-se escritora?
Ler muito e escrever todos os dias. No meu caso, fiz graduação em jornalismo e considerei essa opção excelente. Na faculdade de Jornalismo você é obrigado a escrever o tempo todo, sempre desenvolvendo textos dos mais variados estilos e voltados aos veículos mais diversos, como jornal, televisão, rádio, revista, internet ou assessoria de imprensa. Escreve-se sobre política, cultura, comportamento, educação, esporte, colunismo social, crônica policial, meio ambiente etc. E sempre com prazos curtos e sob muita pressão. Não vejo escola melhor para quem deseja dominar a técnica da escrita em suas múltiplas possibilidades. O curso também auxilia na construção de uma boa rede de relacionamentos. Ter talento é o mais importante, é claro, mas quando esse mesmo talento é associado a bons contatos, o caminho fica, digamos, menos espinhoso. Jornalista ou não, é preciso correr atrás do que se quer. Participar de concursos de conto, poesia, crônica. Isso rende, no mínimo, um ótimo treino.  Hoje em dia há muitas opções bacanas para quem está começando: programas culturais, oficinas de texto, palestras e ciclos de debates com escritores, editores. Há inúmeros sites e blogs com dicas preciosas para quem quer escrever. É preciso se informar, ir a eventos literários, entender como o mercado editorial funciona. Também é essencial visitar o site das editoras e observar quais as linhas editoriais da empresa antes de enviar seu original. Mantenha um blog, troque informações. São dicas válidas, mas a verdade é que cada autor trilha seu caminho de forma única, cavando oportunidades da maneira que é possível. O que não pode é desistir. O mercado editorial está cheio de escritores bem-sucedidos com histórias incríveis sobre os anos de recusa e rejeição sofridos antes de emplacar seus livros. Sabe aquela máxima da propaganda de televisão: “Eu sou brasileiro e não desisto nunca?”. Pois é. Tá aí um bom lema. Um bom norte para nos guiar pelas veredas literárias.  

 Quer ganhar o Livro: Quem tem medo de Papangu?


Siga as instruções:

- Comentar no blog com a seguinte mensagem:

“ Quem tem medo de Papangu? Eu não, e por isso quero ganhar o livro de Goimar Dantas”

-Seguir o blog: Tecer Girassóis

Seguir no twitter:

- @replithgirassol
- @goimardantas
- @Cortez_editora

- Preencher o formulário: AQUI

Pontos Extras:

- Comentar na TecerEntrevista I – Goimar Dantas ( 2 Pontos- direito a dois formulários)
- Dar RT duas vezes ao dia  no Twitter da seguinte mensagem ( 1 ponto- preencher a cada dia um novo formulário):


Quero folia do livro“Quem tem medo de Papangu”  presenteiam @Goimardantas+@replithgirassol @Cortez_Editora, Pule lá:http://migre.me/4lYoS

- Seguir o blog da Autora Goimar Dantas: http://poesia-potiguar.blogspot.com
(1 ponto).


Data de vigência da promo: 26 de abril até dia 25 de maio (até as 23h59)
Sorteio será no dia 26 e o resultado será divulgado aqui no blog.
Caso não entre em contato, em 3 dias, será realizado um novo sorteio.
Contato por email:tecergirassois@gmail.com


PRORROGAÇÃO:


Prezados, 
Devido a baixa participação na #Promo, até o presente momento só ocorreram 8 comentários ( dia 25.05) Informo-lhes da necessidade de prorrogar a promoção. Espero contar com a compreensão de todos. Quem está participando terá mais tempo e chances para ganhar, pois continua a RT , comentários e preenchimentos de Formulários até dia 10 de junho.
Sorteio no dia 11 de junho, ok.

Conto com a participação e muita Folia, e este livro é encantador, vem e pula com " Quem tem medo de Papangu".


Bem, atualizando e colocando o  resultado da Promo, como previsto.
Quem será que ganhou?


O número sorteado pelo Random foi:



A quem pertence este número é:




Foi Bárbara Cristina Hilla, Parabéns!!
Ela Twitou bastante, pois pode notar que se saisse um número para cima ou para baixo, estava ela.
Envie seus dados para: tecergirassois@gmail.com


Agradeço muitissímo a Goimar Dantas, Autora do Livro, e também a Cortez Editora, ambos são parceiros do Tecer.


Abraços
Replithgirassol

12 comentários:

  1. Quem tem medo de Papangu? Eu não, e por isso quero ganhar o livro de Goimar Dantas”

    ResponderExcluir
  2. “ Quem tem medo de Papangu? Eu não, e por isso quero ganhar o livro de Goimar Dantas”

    ResponderExcluir
  3. Quem tem medo de Papangu? Eu não, e por isso quero ganhar o livro de Goimar Dantas

    ResponderExcluir
  4. Entrevista linda, adorei conhecer esta autora. Já fui no blog dela e adorei!

    Quem tem medo de Papangu? Eu não, e por isso quero ganhar o livro de Goimar Dantas

    ResponderExcluir
  5. "Quem tem medo de Papangu? Eu não, e por isso quero ganhar o livro de Goimar Dantas"


    Sou apaixonada por historias infantis até rabisquei algumas.

    ResponderExcluir
  6. “ Quem tem medo de Papangu? Eu não, e por isso quero ganhar o livro de Goimar Dantas”

    Conheci seu blog por meio de uma amiga e estou adorando! Parabéns!

    ResponderExcluir
  7. “Quem tem medo de Papangu? Eu não, e por isso quero ganhar o livro de Goimar Dantas”. Independente da promoção que já gostei, o blog é muito bom...estou gostando!

    ResponderExcluir
  8. Quem tem medo de Papangu? Eu não, e por isso quero ganhar o livro de Goimar Dantas

    ResponderExcluir
  9. Olá,
    “Quem tem medo de Papangu?
    Eu não, e por isso quero ganhar o livro de Goimar Dantas”

    =)

    ResponderExcluir
  10. “ Quem tem medo de Papangu? Eu não, e por isso quero ganhar o livro de Goimar Dantas” Já vou espalhar para todos...

    ResponderExcluir
  11. “ Quem tem medo de Papangu? Eu não, e por isso quero ganhar o livro de Goimar Dantas”


    Paula

    ResponderExcluir
  12. “ Quem tem medo de Papangu? Eu não, e por isso quero ganhar o livro de Goimar Dantas”

    ResponderExcluir