17 de maio de 2010

Vendo Poesia

A plasticidade e habilidade com as palavras, Leo Cunha escreveu o livro Vendo Poesia, desde o seu título as ilustrações dos poemas, uma primorosa produção. Na sua construção visual, neoconcreta das palavras, parece-nos uma visita ao globo ocular, em tantas etapas de grande significantes e significados da visão,  ampliada pela forma-tos das ilustrações e suas respectivas associações aos poemas.

Vendo Poesia faz uso da paranomásia em seu título, esse trocadilho com as palavras, expande-se no toque ao olhar, na dimensão de ressignificação da palavra vender, com sentido da troca, trocar, demonstrar, pois basta o olhar da cara, como sugere o poeta, em sua produção.

LEIA E VEJA.....



Vendo POESIA

Para quem gosta

Poesia nada custa

Poesia nada gasta

Bastam os olhos

da cara.

(CUNHA, Leo,VENDO POESIA. Editora FTD,2010,pág. 9)

Um comentário:

  1. Oi, Renata,
    Que legal! O livro acabou de sair do forno e vocÊ já leu e já comentou.
    Abraço grande,
    Leo Cunha

    ResponderExcluir